15 erros de português… que talvez você cometa diariamente

Quando se fala de livros de gramáticos, há que se separar o joio do trigo. Ou seja, os bons conselhos daquilo que é meramente transtorno obsessivo-compulsivo. Também distinguir o que são erros de portuguêserros gramaticais propriamente ditos – daquilo que é meramente preconceito linguístico.

No entanto, gosto muito do Luiz Antonio Sacconi, que não faz nenhuma questão de parecer simpático, como tem sido moda depois do surgimento do professor Pasquale Cipro Neto.

Sacconi é radical em alguns pontos e seu aparente mau-humor chega a ser divertido. Seus livros, de fato, são fáceis de ler e abordam os problemas cotidianos. Recomendo sobretudo o Não Erre Mais.

Sabendo-se obter de 1000 erros de português – os pontos mais úteis para a vida prática, o autor pode ajudar em muito na escrita e nas conversas mais formais do dia-a-dia. Ou seria dia a dia?

Separei alguns erros de diferentes naturezas que, em uma primeira folheada, chamaram-me mais a atenção, ou por sua curiosidade ou por sua freqüência diária:

  1. Super-interessante
    Na famosa revista está grafada a palavra Super- acima de -interessante. Dado o desconto por tratar-se de um nome, uma marca, deve-se chamar a atenção: a palavra superinteressante escreve-se sem hífen. E, portanto, não teria essa divisão silábica, mas esta: su-pe-rin-te-res-san-te.
  2. Um agravante, um atenuante
    Agravante e atenuante são palavras femininas. Portanto, uma agravante, uma atenuante. Sempre.
  3. Todo mundo
    Todo o mundo erra essa. Todo o mundo precisa saber que o correto é “todo o mundo” em qualquer situação.
  4. Qualidade que você gosta
    Outro erro comum nos reclames diários. Quem gosta, gosta de alguma coisa, portanto, a marca de que você gosta
  5. O banco que você confia
    Quem confia, confia em alguma coisa. Portanto, o banco em que você confia.
  6. A janta está na mesa
    A janta está quase consagrada pelo uso, como se costuma dizer nos meios gramáticos. Mas, se você preferir uma forma mais correta, diga sempre que o jantar está na mesa.
  7. Desculpe a nossa falha
    Se você der alguma informação errada em seu blog, não diga “desculpe a nossa falha”. Quem desculpa, desculpa alguém de (ou por) alguma coisa. Então: desculpe-nos pela falha.

Pronúncia

Os erros de pronúncia são vários. Algumas palavras ficam até esquisitas se pronunciadas da maneira correta e você corre o risco de ser considerado uma criatura exótica, mas – fazer o quê? – vamos a alguns deles:

  1. Um xeróx
    Tire sempre uma xérox (o acento, nos dois casos, é ilustrativo). Na dúvida, peça uma fotocópia.
  2. Féche a porta
    A pronúncia correta é fêche a porta, com o e fechado (o acento é ilustrativo).
  3. Incêsto
    A pronúncia correta é incésto (o acento também é ilustrativo).
  4. Toráxico
    Escreva e pronuncie torácico.
  5. Aerosol
    Escreva e pronuncie aerossol.
  6. Comprar no Éxtra
    O “e” é fechado. Faça compras no Êxtra (novamente, acento meramente ilustrativo). Acho que nas propagandas a pronúncia usada é com o e aberto.
  7. Sintaxe pronunciada sintakse
    Essa é para os programadores de plantão. O seu código não está com problemas de “sintakse”, está com problemas de “sintásse“. As grafias entre aspas são meramente ilustrativas. A grafia correta é sintaxe.
  8. Subzídio
    Escreve-se subsídio e pronuncia-se subcídio.

Bem, agora vou ali dar uma revisada nos artigos passados, pois certamente eles estão cheios de erros. Adimito. Digo, admito.

182 respostas para “15 erros de português… que talvez você cometa diariamente”

  1. Rui de Lucca disse:

    Desde que o autor do texto não seja um gramático propriamente dito, não há como impedir erros gramaticais. Acho isso pura convenção e apesar de trabalhar com o idioma pátrio todos os dias, considero a rigidez dispensável. Afinal, senão autor algum move a pena (ou os dedos na tecla), não é mesmo, Alessandro?

    Resposta: É verdade. É verdade também que o conhecimento cada vez maior das regras gramaticais ocasiona uma incidência cada vez menor de erros, sobretudo dos mais graves. Mas mesmo entre os gramáticos há dissidências… então, para um gramático outro gramático pode escrever errado… erros… humanos têm que aprender a conviver com eles… Abraços!

  2. Leonardo disse:

    Olá Alessandro,

    conheci seu site por acaso esses dias.. desde então não consigo deixar de entrar todos os dias a procura de textos novos, ou antigos que eu não tenha lido. Parabéns..

    Muito legal esse texto sobre os erros gramaticais.. afinal, quem é que não comete alguns por dia?
    Sempre passa algum errinho despercebido.. rs.

    Resposta: Fico feliz que tenha gostado, Leonardo… minha sugestão é que você assine o feed, assim você só vai precisar entrar quando realmente tiver algo novo ou, se preferir, ler no próprio agregador de feeds, este e todos os outros blogs que você costuma acompanhar…

    Abraços e seja sempre bem-vindo.

    Abraço!

  3. Mário disse:

    Iiihh, Alê, erro de montão! Todas as pronúncias que você anotou são as que uso, as erradas, é claro (risos). Lembrei de outra frase publicitária que virou moda: “Vem pra Caixa você também, vem!” Lembrou? O certo seria “Venha para a Caixa…” Abraços, Mário.

    Resposta: Sim, é verdade! Esse da Caixa é um clássico… mas como fazer caber isso num jingle, não é mesmo? Paciência… vamos deseducar o povo que a gente ganha mais… rs.

    Abraços!

  4. _Maga disse:

    Ah, uma falta imperdoavel (que tem acento em algum lugar… rs): “eu te amo”.
    Escrevi um post sobre isso outro dia.

    E continuo uma analfabeta gramatical… rs

    beijos

    Resposta: Falta imperdoável é não dizer… com ou sem erros gramaticais… rs.

    Beijos!

  5. Diego disse:

    E eu que cometia algumas dessas…

    Resposta: E eu cometo o tempo todo… rs…

  6. Fabiana disse:

    Olha os vícios de linguagem me assombrando.. :)

    Resposta: A mim também, Fabi… a mim também…

  7. Carlos disse:

    Caro Alessandro, gostei muito de seu blog.
    Descobri ele hoje.
    Como em algumas descobertas, esta valeu a pena.

    continue…

    Carlos
    (http://stock-buster.blogspot.com)

    Resposta: Nesse caso, seja sempre bem-vindo, Carlos. Seja como um visitante silencioso, seja como um comentarista ativo…

    Abraços,
    do Ale!

  8. Flávia disse:

    É por isso que eu adoro esse blog.
    Vou imprimir o post e levar para faculdade. Tenho um professor de semiótica que não deixa escapar uma!

    Beijocas! :)

    Resposta: Cuidado para não arranjar briga! Se perguntarem, eu nego que fui eu e apago o post…. brincadeira…

    Beijos,
    do Ale!

  9. Gostei bastante, para variar. xD

    Contudo, faço duas ressalvas:
    1. No Aurélio, “agravante” também pode ser um substantivo masculino: “5. O que agrava.”.
    2. O som do “e” em “extra” depende da região. Aqui no Rio falamos “Êxtra” mesmo, mas, salvo engano, a propaganda do supermercado diz “Éxtra”. Quando falamos de marca, imagino que certos erros sejam ignorados.

    Resposta: Para variar, bem observado Thássius… é aquela coisa, os gramáticos costumam ser piores que fundamentalistas religiosos, firmes em suas opiniões e capazes de ignorar os regionalismos e a dinâmica da língua. São elementos necessários na cultura, assim como a alta volatibilidade do verbo, que muda constantemente… na verdade, o que eles fazem é tentar segurar água entre as mãos. E, considerando que o Sacconi é dicionarista então, ele faz altas ressalvas a diversos outros dicionários… fico pensando o que ele diria do Aurélio nesse caso. Minha dica é escolher uma regra e segui-la.

    Por exemplo:

    Há uma linha que diz que o correto é dizer “anos setentas” e seria errado dizer “anos setenta”. Outra linha diz que está correto dizer sim “anos setenta”. A outra é que está errada. Digamos que eu ache que “anos setentas” está certo. No entanto, eu tenho o bom senso de saber que isso é muito esquisito. E como não há como estar absolutamente certo em nenhum dos casos, abdico da fórmula que acho correta e uso: década de 70. Pronto. Com fundamentalistas, é necessário ser diplomático.

  10. Li disse:

    Ai! Que saudade…

    Bem…
    Têm tanta gente que não consegue nem pegar em um livro, chega a sentir náuseas… (conheço gente assim mesmo) quanto mais pra ler.
    Eu acho a língua portuguesa fascinante, embora não conheça mais que algumas palavras. Adoraria saber todas essas regras e conseguir colocá-las em prática. Mas não conheço e não sei.
    Eu lamento saber que a galerinha que vem vindo aí, sabe menos ainda.

    Vou fazer como a Flávia e levar lá na faculdade esse post e ainda, se me permitir, vou copiar e enviar pra alguns contatos meus que dão valor em assuntos assim, que contribuem com nosso crescimento. ;)
    ….
    Ahhhh…

    Areossol???

    ….

    beijosss.

    Resposta: Devo confessar que aerossol e torácico eu sempre errei…. rs…

    Beijos do Ale…

  11. André disse:

    Lista interessante, caso estejamos falando de texto escrito, já quanto à pronúncia, não podemos dizer que “está certo desta forma e errado desta outra”.

    Devemos sempre levar em conta os elementos sociolinguísticos presentes na comunicação.

    Preconceito linguístico é muito pior do que erros gramaticais!

    Resposta: De fato, André. No entanto, não esqueçamos que se trata de um gramático – um fundamentalista, portanto – e de que, naturalmente, ele se refere à chamada norma culta. No mais, eu acredito que cada um deve falar da maneira que lhe cai melhor e que mais lhe dá conforto, sem dúvida.

    Abraços!

  12. Calebe Aires disse:

    A língua pode ser dinâmica, mas não uma bagunça!
    lembrar de algumas regrinhas sempre é bom!

    Abraços

    Resposta: Tem a dinâmica da língua, a âncora da gramática e, no fim, chegamos a um acordo… vamos ver em que velocidade ela se move nas próximas décadas, que tal?

    Abraços!

  13. Alessandro,

    novamente adorei seu texto mas discordo do extra e do Fêche porquer acredito que nestes casos haja a influência do sotaque de cada região.
    Paulista em geral fala “ê” e carioca fala “é”.
    Mas veja que curioso, no caso do mercado EXTRA, carioca fala Êxtra e paulista fala Éxtra.
    Vai entender…

    Resposta: É, na verdade, não creio em certos e errados, principalmente no dia a dia, na fala das pessoas… mas existe uma norma e essa norma por incrível que pareça diz que a forma de se falar feche é com o e fechado… mas, pessoalmente, não vou vou pensar que a pessoa é pior ou melhor que eu pela forma que ela adota. É apenas uma curiosidade… rs.

    Beijos!

  14. Sei lá se erros de português significam alguma coisa – acho que muito pouco, na verdade. O que importa é a clareza no estilo e a lógica, que uma gramática torta não pode atrapalhar. O resto é firula.

    Resposta: Esses, no caso, são erros até curiosos… não ficaria espantado de encontrá-los por aí. Mas confesso que me irrita um pouco encontrar coisas como “a” no lugar de “há”, “onde” usado para designar algo que não lugar, alguns tipos errados de emprego, ou não emprego da crase… mas tudo bem… é questão de gosto mesmo. E, sobre isso, sabe o que dizem…

    Não se pode limitar mesmo a análise de um texto pela qualidade gramatical, ou grandes artistas populares seriam deixados de lado por um detalhe tão técnico, não é mesmo?

    Abraços!

  15. Lenira Almeida Heck disse:

    É… alguns dos nossos amigos são flexivéis quanto ao emprego da norma culta da língua. Na oralidade, passa, mas na escrita, a coisa complica um pouco, e pode não alcançar a credibilidade desejada.
    De certa forma, todos têm um pouco de razão nos argumentos apresentados, pois o Português é uma das linguas mais difíceis de ser dominada; quando percebemos, ela nos dá uma rasteira. Ficamos amarelos e voltamos a estudá-la mais um pouco. Nunca dispenso uma gramática perto de mim. É questão de hábito.
    Um abraço, Lenira

  16. Rosana O. disse:

    Muito bom o texto. A gramática é um caminho, orientação, não uma forma de “engessar” a língua.
    Mesmo com tanta riqueza nos falares regionais, não se pode ficar desatento às normas.
    Abração!

    Resposta: Também acho que o caminho mais bacana é o do meio… nesse caso…

    Beijos!

  17. Neto Cury disse:

    Eu sei que isso tudo é o correto, mas é por isso que eu tenho um blog! Para poder usar um texto mais popularesco, poder usar palavrões, etc.
    Porém, isso tudo não justifica o uso de “miguxês” ou até escrever “qq coisa k fik asim”
    Outra coisa que costumo ver com frequencia são os seguintes erros:
    a pessoa quer usar passado e usa futuro-mais-que-imperfeito (hehehehe)
    correto: quiseram
    errado: quiserão

    O contrário também existe:
    correto: terão
    errado: teram

    Mas isso não é um ponto de discussão, quero adicionar alguns erros que eu cometo frequentemente:

    “a personagem”;
    “me dá um dó”.

    Abração

    Resposta: É engraçado como alguns erros até são aceitáveis (quando percebo um erro de digitação  no blog alheio nem me encano). Agora outros são terríveis… trocar ão por am e vice-versa, por exemplo, é triste…

  18. Bruh disse:

    As de pronúncia, não. Mas as outras, excetuando a primeira… tsc, tsc… Espero melhorar ocm a faculdade.
    Mas deu uma vontade enorme de ler o livro todo.

    Resposta: Eu recomendo sobretudo o Não Erre Mais. Bastante didático e com umas coisas que a gente nem imagina…

    Beijos!

  19. Alessandra disse:

    Adorei,Alê!!!!!!!!!Era tudo que eu queria.Saber erros de português mais frequentes .Não tenho nada a ver com a área,mas não suporto esses erros rotineiros na escrita.Mas tem coisas que a gente acaba perdoando mesmo.Muito interessante.Achei por acaso também.Um grande abraço,Alessandra

    Resposta: Que bom que achou e que bom que gostou. Não creio que estes erros que expus sejam necessariamente os mais freqüentes. Porém achei-os bastante interessantes. Existem alguns livros que trazem listas de erros mais comuns. Recomendo os livros do Sacconi. Mas aquela coisa: lembre-se que um gramático nunca ou quase nunca leva em conta a dinâmica de evolução da língua etc…

    Abraços! E volte sempre!

  20. Tv Retrô disse:

    Ótimas dicas, adoro quando encontro textos desse tipo, sempre acabamos corrigindo erros que cometiamos por pura falta de atenção.

  21. Uma hora dessas eu publico um texto mais completo sobre isso, Anny… algo como “os cem erros de português mais comuns nos blogs”… Beijos!

  22. Ah, sim… entendi, meu caro! Lamento! Abraços…

  23. Maria Gelma disse:

    Gostei muito das dicas do site,sempre tenho duvida sobre a escrita de determinada palavra,mesmo sendo uma aluna do curso de letras, tem momento que dar um branco geral.Mas procuro sempre tirar minhas duvidas antes de continuar a escrever.
    Obrigado pelas dicas.
    Maria!

  24. Que bom que gostou, Maria! O mérito é todo do professor Sacconi, no entanto… Beijos!

  25. messias venturine disse:

    como diria meu amigo: luxo, poder e gloria.
    Ale, que legal seu blog, sou estudante de publicidade, e pela a necessidade de se aprimorar com o portugues me trouxe ate aqui.
    confesso erro bastante, mais estou correndo atras do prejuizo e sei que blogs como esse me ajudara bastante.

  26. phlox disse:

    Céus! Agora vejo que cometo mais erros do que eu imaginava!

    Ótimos posts neste blog. Muito úteis.

    Obrigada por visitar meus blogs.

  27. Que bom, Messias… espero que seus futuros trabalhos façam sucesso nacional e que eles primem pela boa Língua Portuguesa, meu caro. Abraços!

  28. Todos nós cometemos, Phlox, e o tempo todo. Mas sempre dá para dar uma arrumadinha aqui e ali…

    Abraços!

  29. Esdras disse:

    Incrível. Comecei a pensar em quantos “agravantes” já escrevi por aí… Ou quantas.

  30. Rosangela Alcantara disse:

    Quanto mais leio, mais assombração aparece…
    brincadeira…rs.
    Quanto mais leio mais observo quantas coisas
    deixei de ler!
    Valeu!

  31. Lice disse:

    Ale!É difícil, como esses gramáticos conseguem guardar tantas regras?,eles podiam dar umas dicas para nós pobres mortais.

    Resposta: Bom, Lice… essa é a vida deles, eles trabalham com isso e então fica mais fácil guardar tudo. Mas aposto que mesmo eles, em algum momento, precisam consultar suas fontes bibliográficas. Por isso, a melhor coisa é ter uma gramática e um dicionário sempre por perto… Beijos!

  32. Daisy Carvalho disse:

    Este post me fez pensar…quase que filosoficamente a respeito da comunicação. Admiro e invejo esses imortais da gramática, porém… Creio que há algo de sublime e sobrenatural que exige que nós olhemos nos olhos e nos compreendamos, muitas vezes sem palavras ou escritas.Uma babilônia do bem. De que me vale a forma se não houver conteúdo…Trabalhei em uma editora alternativa e renomada (ed. Espaço e Tempo), e de lá foi que vislumbrei autores doutores em língua e também “Elizabeth…”, uma mulher que vivia nas ruas e que nós editamos seus belos poemas. Poemas rascantes e viscerais. Quanto aos erros? Nosso editor limpou-os, tomando cuidado para que a poesia não degenerasse.
    Mas é linda nossa língua e quanto menos errarmos, melhor!
    Mais uma vez, parabéns pelo artigo, Ale.
    Beijos emocionados,
    Daisy Carvalho.

  33. Daisy Carvalho disse:

    De tão emocionada, estou te mandando um poema de um dos meus livros engavetados:

    “Solidão
    é quando tudo fica escuro.
    Você olha em volta e percebe
    que o único caminho
    já que tudo está deserto
    é descer as escadas do seu prédio
    E entrar no primeiro bar.
    Depois, bêbada,
    Parar em frente ao templo.
    Vão te salvar
    Você acredita que vai ser salvo
    Jura voltar
    E eles fingem acreditar.
    Chego em casa
    tiro toda a roupa
    e nua, repouso em meu sofá.
    Ouvindo Wagner
    rabisco poemas sujos
    lembrando ou tentando lembrar
    qual era mesmo o motivo de minha solidão.

    Beijos!
    Daisy Carvalho.

  34. Agravante e atenuante… bem lembrados! Eu faço um enorme esforço para não cometer erros ao escrever, mas às vezes acontece de eu reler um texto antigo do blog, achar um erro e pensar: “Meu Deus, eu realmente escrevi isso???” Aí já é tarde, corrige-se, mas aí muita gente já leu. ;-) É bom relembrar algumas regrinhas de vez em quando. Gostei do post.

    Um erro que me ocorre agora, muito comum também, é: “há muito tempo atrás”. (Se foi “há” muito tempo, “atrás” é redundante). Eu tive um professor de português que era extremamente rígido e como sempre gostei muito de escrever eliminei vários errinhos lá atrás com este professor. Ainda assim, sempre aprendendo… ;-)

    E concordo com o Neto, “quiserão” no lugar de “quiseram” é muito comum – e péssimo!!! Outro que eu vejo pra todo lado é “durmir”.

    A lista é longa… ;-)

    Vamos nos esforçando para aperfeiçoar os conhecimentos, acho que todos erramos de vez em quando, posts como este são úteis para refrescar a massa cinzenta. :-)

  35. Luiz Capuano disse:

    Outros erros que também são comuns:
    – “Fazem” dez anos que eu me formei. O verbo fica no singular, independentemente do tempo decorrido.
    – Ela é “meia” confusa. O correto é meio, não importa o gênero da pessoa ou do objeto a que se refere.
    – Meio dia e “meio”. O segundo “meio” se refere a hora, por isso, deve ficar no feminino (meia).
    – “Haviam” cem pessoas lá. O verbo fica no singular (havia).

  36. Renata disse:

    Uma eterna dúvida minha,
    Qual a pronúncia correta de:
    INTUITO??????
    intuíto ou intúito???

  37. Gonzaga disse:

    Pesquisando sobre a pronúncia de algumas palavras, encontrei suas dicas, mas deixo o comentário abaixo:
    Segundo dois renomados professores da língua portuguesa(na tv), além de várias consultas que fiz na internet, a palavra XEROX, pode ser pronunciada das duas formas(xeróx ou xérox).

    Abraços,

    Gonzaga.

  38. Prezado Alessandro.

    O autor Sacconi, como você afirma, é radical. A língua, longe de ser um mutante desgovernado, mesmo seguindo certos parâmetros, está longe de ser radical, podendo uma classificação de um autor ser contestada por muitos outros.

    No segundo item dos erros mais freqüentes, tanto a ABL (http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=23) quanto o dicionário Houaiss classificam agravante e atenuante como adjetivos e substantivos de dois gêneros. Portanto, sob esse ponto de vista, Sacconi errou. E, por ser radical, não lhe é concedido nenhum atenuante.

  39. Alexandre Suyama disse:

    Escrevo diariamente em meu serviço, tenho muitas dúvidas, razão pela qual decidi pesquisar “erros de português”. Que feliz pesquisa! Encontrar este site foi maravilhoso. Adoro a Língua Portuguesa por sua riqueza de detalhes, logo são inúmeras dúvidas.
    A de hoje, se me permite, é se podemos utilizar os termos: “os mesmos ou as mesmas”, como pronomes relativos…
    Parabéns por tudo o que é apresentado no site!
    Muito bom !

  40. Flávia disse:

    oooie!!!
    bom, adorei o site… =p
    só que não resolveu meu problema…
    pois pesquisava sobre erros de português….fatos
    {risadas} =)

    beeeijos =*

  41. fatima disse:

    olá, gostei muito do site, mas será que tem solução para o meu problema? gosto muito de leitura, mas odeio ler gramatica, e sou muito indecisa para escrever acho que estou sempre escrevendo errado. abraço …

  42. Oguesa disse:

    A gente até poderia dar uma forcinha na língua, não é mesmo. Quem sabe um Orkut desses da vida para troca de experiências e curiosidades do nosso idioma? Qualquer coisa…´´estou dentro!“

  43. Sgarbi disse:

    “E, portanto, não teria essa divisão silábica, mas essa: su-pe-rin-te-res-san-te”.
    Não seria mais adequado “(…) silábica, mas esTa”?

    Abraço.

  44. Fanny Webber disse:

    Aqui no sul tens uns erros que fazem parte do cotidiano, a da xerox é um exemplo. Mas aqui não se tem o costume de falar “e” aberto, como em Extra, aqui nós pronunciamos “êxtra”, mesmo!

  45. Aline disse:

    Gente Adoreiiiiiiiiiiii

    Bjoss

  46. Aline disse:

    Encontrei hoje este site e adorei.
    Parabéns e obrigada pelas dicas.

    Bjos

  47. Anny disse:

    Oi Alessandro:
    Sempre que vejo esta página, fico pensando se escrevi alguma coisa errada. Muitas vezes, não percebo na hora e depois o erro fica me assombrando.Rs! E foi numa destas que exclui um post inteiro. Claro que fiquei com remorso, não sei como recuperar. Foi…
    Bjos

  48. Angélica disse:

    É que acabo de ver no aurélio que atenuante é um substantivo feminino mas se for usado como adjetivo tem dois gêneros. Você poderia me dar um exemplo de cada situação?
    obrigada!

  49. Lene disse:

    Parabéns pelo belíssimo trabalho e contimue nos ajudadando,estou acessando esse site pela primeira vez, muito interessante. Bom progresso.

  50. Daniela disse:

    Nossa, fiquei corada com tanta informação. Admito que errei, algumas, se não muitas vezes. Na verdade, me pergunto se nesta frase não cometi alguns erros também.

  51. Jader Floripa disse:

    “Nossa! Fiquei corada com tanta informação. Admito que errei algumas, se não muitas vezes. Na verdade, pergunto-me se nesta frase não cometi alguns erros também.” Tá aí Dani! Beijo

  52. Lurdes disse:

    Eu quero saber qual è o correto? A maioria são ou a maioria è?

  53. Waldez disse:

    A maioria é, palavra no singular.

  54. joão luis disse:

    adorei este site. pergunto. esta correto dizer “fazer amor” sempre achei estranho esta frase. abraços.

  55. João Dias disse:

    Caro Professor,

    e o que vc me diz dos “a princípio” e “a nível de” que assombram nossos pobres ouvidos?
    Um abraço!

  56. Leandro disse:

    Maneiro. rs. Agora uma pergunta pra todos: Porque ou por que ou porquê ou por quê (rsrsrsrsrsrs) pêra (fruta) tem acento e seu plural (peras) não?

    rsrsrsrsrsrs

    Abç’c

  57. Lenny Sampaio Jr. disse:

    Ei, vcs que estão aí falando que gostam de aprender português, com dicas quentes. Vcs sabem que o Prof. Sacconi tem um blog q fala justamente desses assuntinhos? É um blog bem recente, que descobri por acaso, acho que até tá em fase experimental. Mas já dá pra ter uma idéia. O cara manja horrores! Estudei na oitava série por sua gramática. Deixa Pasquale no chinelo.

  58. M.Lima disse:

    O professor Sacconi é realmente enjoado, intolerante com os insultos à nossa língua pátria.
    Mas eu o adoro.
    Gostei desta página.
    Queria mesmo era ter o conhecimento(em português) de um SAID ALI.

  59. M.Lima disse:

    ajudem……!!!!!!!!!!!!!!

    como acessar o blog do querido professor LUIS ANTONIO SACCONI

  60. Amelie disse:

    errar uma ou duas vezez é humano, mas errar demais…

  61. Amelie disse:

    HERRAR Ê UMANU?????????

  62. Wyller Carlos disse:

    Em primeiro lugar,parabéns pelo site.

    Gostaria de saber a pronúncia correta para o termo rastelo.

    Obrigado.

    Wyller

  63. VIANEI MENDES GARCIAS disse:

    NAO ME PREOCUPO MUITO COM ESCRITA JA QUE ESCREVO POUCO GOSTARIA MESMO E DE PODER FALAR CORRETO EMPREGANDO CADA PALAVRA EM SEU DEVIDO LUGAR

  64. Espero que consiga, Vianei. Abraços do Alessandro.

  65. Antunes Palinuro Jr. disse:

    Adorei tudo. Gosto muito de aprender português. Por isso, já conhecia alguns livros do Prof. Sacconi, que eu considero muito mais didático que os Pasquales da vida. Aliás, ouvi um papo no cursinho que Pasquale copia muita coisa do Sacconi. Se for verdade, é um escândalo pior que o do mensalão…

  66. Fernando Sampaio disse:

    O dicionario Aurelio aceita as pronuncias sintacse e sintasse. E aí, que faço?

    “sintaxe
    (cs ou ss) [Do gr. sWntaxis, pelo lat. tard. syntaxe.] “

  67. Fernando,

    adote uma regra e siga-a. Não se deixe levar por picuinhas gramaticais.

    Abraços!

  68. sofia disse:

    Olá Alessandro, muito bom este espaço aqui!
    parabéns pelo seu trabalho!
    Se possível, gostaria que você me mandasse por e-mail algo sobre a porcentagem do preconceito lingüistico!
    Obrigada!

  69. patricia disse:

    Parabéns pela pagina, estava a precisar
    realmente o português é bastante complicado, na minha humilde opinão,
    existem muitas regras e muitas acentuações.

    sem esquecer o facto que eu sou angolana e logicamente o “nosso português “tem algumas diferencas

    desculpem pelos erros que cometi escrevendo

    Eu disse que era muito complicado,……..rsssssssss

    bjos

  70. rosana cardoso disse:

    oi, então
    tenho umproblema na hora de escrever me da uma insegurança.por exemplo se escreve jeito ou geito e troco o g pelo q.
    obrigada
    beijos!

  71. Rosana, a solução de um problema é enfrentá-lo com frequência e constância. Por outro lado, como você disse que troca o g pelo q, talvez você tenha um problema chamado dislexia. É comum, mas você tem que pedir ajuda a um especialista para enfrentá-lo. Abraços!

  72. beatriz teresa finimundy disse:

    oi alessandro
    achei teu blog um barato. tenho uma dúvida que me persegue. existe “ponhar”? aqui onde moro há uma facção a favor disso, e outra, naturalmente contra onde me encaixo.sua resposta me servirá de prova para a discussão. bjs

  73. Nathália Bruno disse:

    olá ,

    Muito legal mesmo , ao invés de ficar fuxicando o rkut devemos procurar paginas que nos propõe algo útil.Falando nisso a minha ortografia está correta?
    rs

    bjuxx

  74. Alessandro Martins disse:

    Nathália,

    não está exatamente correta. Está internética.

    Mas tudo bem!

    Abraços do Ale!

  75. Alessandro Martins disse:

    Beatriz,

    definitivamente “ponhar” não existe. Muito embora “pinchar” exista.

    Abraços!

  76. Agnaldo disse:

    Vale a pena procurar escrever sempre correto, o uso corretodo português padrão é muito importante para uma comunicação melhor entre as pessoas e acho importante pessoas como você que fazem algo para preservar nosso idioma, parabéns ( se tiver algum erro no escrevi, por favor!! me corrija)

  77. Alessandro Martins disse:

    Agnaldo,

    obrigado por seu comentário e por suas considerações. Creio que o português correto é bom. Se houver clareza, melhor ainda.

    Abraços!

  78. Flávio disse:

    Olá Alessandro.
    É um prazer imenso encontrar um site desse tipo, onde hoje é tão comum as pessoas escreverem errado e nem se importarem com isso. Por-que será que ninguém se interessa em escrever corretamente, principalmente com relação à acentuação. Palavras fáceis de serem escritas, mas lá estão os erros.
    Obrigado por criar o site.
    Antes de terminar, gostaria que você tirasse uma dúvida. É correto pronunciar “botar” no sentido de “colocar’?
    Ps.: Este meu comentário tem algum erro?
    Abraços.

  79. Sérgio Luiz disse:

    Prezado Alessandro.
    Primeiramente parabéns pela preocupação com a língua portuguesa, principalmente com a pronúncia correta.
    Ví que você é fã do Sacconi – eu também – porém permita-me discordar da pronúncia do “fêche a porta”. O correto é com a vogal aberta mesmo, visto que nas segunda e terceira pessoas do imperativo deste verbo (fechar) encontramos o “E” (é) fechado.
    Aqui em São Paulo é muito comum o uso desta vogal/letra com som fechado. Como exemplo cito o particípio do verbo pegar.
    Na frase “ela havia pego…” há tendência de nós paulistanos pronunciarmos “pêgo”. Ora, se trocarmos somente a 1ª letra do verbo para “c” a frase ficaria “ela havia cêgo?” ou “cégo?” Parece-me bem claro que é a segunda opção, certo? Nossa tendência é encurtar, mas nos dois casos, semelhantemente ao verbo fechar, em nenhuma de suas conjugações imperativas (2ª e 3ª pessoas do singular) há a vogal “E” fechada. Ninguém diria “pêgue esta porta”ou “cêgue este lradrão”. Ocorre também pronúncia aberta no subjuntivo:
    Que eu féche, féches, féche.
    Que eu pégue, pégues, pégue.
    Quanto ao particípio dos verbos pegar e cegar aconselho preferir sempre o regular. É correto e não gera polêmica: Pegado e cegado.
    Agora mudando de assunto o Sacconi é um barato mesmo. Mal-humorado toda a vida e mais três dias. Chega a ser engraçado.
    Mas na última edição de seu livro
    “Dicionário de pronúncia correta” ele admite que a palavra EXTRA deve ser pronunciada com a vogal aberta, alegando que esta abreviação deveria se
    “comportar” como algumas outras;
    Môtocicleta =MÓTO
    Fôtografia = FÓTO
    e outras mais. Porém discordo dele.
    Acho que dessa vez ele comeu mosca.
    Que regra é essa? De onde surgiu isso?
    Cito agora abreviações que não trocam de pronúncia suas vogais. Veja:
    Pornográfico > pornô (Não é pórnô)
    Florianópolis > Floripa (Ô)
    Pneumático > pneu (Ê) Imagine PNÉU!
    Metropolitano > METRÔ
    Portanto creio que nunca existiu regra para abreviarmos palavras, e sim bom-senso.
    No mais desejo sucesso para você e para sei blog. Continue assim.
    Parabéns!

  80. antonio carlos disse:

    gostaria de saber se é correto dizer ficamos de pés ou ficamos de pé

  81. Alessandro Martins disse:

    Antonio Carlos,

    costumo dizer que eu fico “em pé”.

    Abraços do Alessandro.

  82. Alessandro Martins disse:

    Sérgio,

    tenho a impressão de que nunca ninguém chegará a um acordo quanto às questões da língua. Vamos tentando nos entender mesmo assim…

    Abraços do Alessandro.

  83. Alessandro Martins disse:

    Flávio,

    botar no sentido de colocar não é errado. Depende da ocasião, com quem está falando ou para quem está escrevendo. Não é formal, apenas.

    A questão é de adequação.

    Abraços.

  84. Nikolas rodrigues de Sousa disse:

    É normal cometer alguns erros desses, mas hoje em dia, as pessoas estão cada vez mais mal-acostumadas a PRONUNCIAR as palavras de uma maneira correta…e CULTA!

  85. Alessandro Martins disse:

    Nikolas,

    de fato, é cada vez mais raro. Mas temos que reconhecer que, às vezes, a língua evolui, muda, se transforma…

    Abraços do Alessandro.

  86. ana disse:

    Preconceito Linguistico – Marcos Bagno
    Leiam!!

  87. Alessandro Martins disse:

    Ana,

    estou recomendando os textos do Bagno em meus artigos mais recentes. Obrigado.

    Abraços do Alessandro.

  88. Eliane disse:

    Boa tarde, tenho uma dúvida, escrevemos década de 40 ou década de 1940?
    Qual é o jeito correto?
    Obrigada,
    Eliane

  89. Alessandro Martins disse:

    Eliane,

    já vi as duas formas sendo usadas. Creio que a segunda delas será bastante útil quando chegarmos em 2050 e você puder estar se referindo à década de 40 do século 20 e à década de 40 do século 21. Se você fizer questão de precisão, use a segunda forma.

    Abraços do Alessandro.

  90. brunouL disse:

    Boas dicas!
    a do aerosol me surpreendeu!

  91. ROMULO SENA disse:

    otimo

    e a proveitando gostaria de saber se é correto eu dizer: Eu vou lembra-la

  92. Alessandro Martins disse:

    Romulo,

    depende do contexto.

    A única coisa que posso adiantar é que “lembrá-la” tem acento antes do pronome oblíquo.

    Abraços!

  93. Isabela Lins disse:

    Romulo,

    a palavra ótimo também tem acento

    ok!

    Beijos

  94. MANOEL MATOS disse:

    qual o certo? “Se soubesse teria trago o livro, ou, “Se soubesse teria trazido o livro?

  95. Alessandro Martins disse:

    Manoel,

    o correto é “Se soubesse, teria trazido o livro”. Não esqueça da vírgula.

    Abraços!

  96. Muito bom.

    Muito bom mesmo!

    Fui obrigado a copiar e postar no meu novo blog!

    Um abraço!

  97. Alessandro Martins disse:

    Errando,

    peço que em vez do texto âncora “LINK” use “Livros e Afins” mesmo.

    Obrigado!

  98. Clarice disse:

    Como se escreve: Talvez ou Talvés?

  99. João Ghizoni disse:

    Prezado Alessandro,
    Que pena que só agora conheci seu site/blog. Muito interessantes todos os comentários. Só confesso que tenho um pouco de “reserva” quando ao livro do Marcos Bagno. Acho que não podemos ser radicais. Em momento algum. Sem ofender ninguém, uma sugestão: quando quiserem saber como se escreve UMA PALAVRA, basta olhar no dicionário, pessoal… Se é uma expressão ou forma verbal, tudo bem, o dicionário PODE não ter. Mas perguntar se o correto é “talvez” ou “talvés” é o cúmulo. Desculpe-me seu autor, mas usar espaço do blog e tempo do leitor com perguntas assim??? Tenha a santa paciência. Quanto à pronúncia de “extra”, comparando com “moto” e “foto”, acho válido o que fez o Prof. Sacconi. Veja bem, foi uma comparação. Não acredito que ele tenha dito que isso é regra. São apenas casos semelhantes, visto que, como escreveram ali em cima, há casos que não se encaixam. Quanto à pronúncia aberta do verbo “fcjar” defendida ali em cima, não faz sentido. O povo usa assim, mas ainda não está confirmado pelos linguistas. “O povo faz a língua”, mas até certo ponto… Devagar com o andor… Desculpem-me por não ter feito um parágrafo para cada assunto (como deveria ser), mas são tantos tópicos…

  100. Gabriel disse:

    Na expressão: “Tenho um molho de chaves”, qual a pronúncia correta para a palavra “molho”?
    Ouço todos dizerem “môlho”, mas eu, quando pequeno aprendi com um professor de português que o correto é “mólho”.
    Esclareça, por favor.
    Gabriel

  101. Alessandro Martins disse:

    Gabriel,

    diga “mólho”.

    Abraços!

  102. isabel marques de lima pereira disse:

    Ouço frequentemente a frase “emprestar de” Li num artigo a seguinte frase “depois disso, só poderá emprestar de outro com juros que serão combinados na hora”
    Gostaria de esclarecimento

    Atenciosamente
    Isabel

  103. Alessandro Martins disse:

    Isabel:

    “Emprestei” dele. Emprestar é ceder, e não tomar por empréstimo: Peguei o livro dele emprestado (e não “emprestei dele o livro”). Outro uso correto: Vou emprestar o livro (ceder) a um amigo.

    A frase que você usou como exemplo fica correta da seguinte maneira:

    “Depois disso, só poderá tomar emprestado de outro com juros que serão combinados na hora”.

    Ou, então, “pegar emprestado”, “obter emprestado”, etc.

    Abraços do Alessandro!

  104. Alessandro Martins disse:

    Isabel,

    mais um detalhe. O Dicionário Houais admite o uso do verbo emprestar no sentido de tomar emprestado:

    3 Brasil.
    tomar por empréstimo
    Ex.: emprestou um vestido da mãe para ir à festa

    Na dúvida, em textos mais formais, no entanto, use apenas no sentido de “ceder” e não de “tomar emprestado”.

    Abraços.

  105. Djalma disse:

    Nos casos da pronuncia das palavras “feche” e “extra” não seria um caso de váriante diatópica?
    Por que dizer que pronuncias como “féche” e “éxtra” pertencem a criaturas exóticas desde quando elas são faladas assim em certas regiões e em nada causam interferência na comunicação?

  106. João Ferreira disse:

    Qual a pronúncia correta da palavra Guiana (o país)? Gúiana ou Güiana?

    Atenciosamnete,

    Joã Ferreira

  107. Fábio Mateus disse:

    Gostaria de saber se esta pronuncia é correta — vou estar verificando, vou esta fazendo isso ou aquilo.

  108. Emille disse:

    Amei!
    Muito bom, sou estudante de pedagogia e amei a iniciativa.
    Aproveitem e visitem o meu blog (não é sobre educação – apesar de educar! Mas, tem muito a contribuir com os casais), abraços.

  109. Joubert disse:

    suôr ou suór

  110. FERNANDA disse:

    EU GOSTARIA DE TIRAR UMA DUVIDA, QUAL ADIFERENÇA DA PALAVRA MAL COM L E MAU COM U?

  111. Martha disse:

    Gostaria de saber com exatidão a pronúncia de “dobre” (adjetivo). Se o correto é dizer: dóbre (acento ilustrativo apenas para marcar a tonicidade) ou dôbre (idem).

  112. alexsander disse:

    E tambem eu vi que tem erros te portugues assim como.Não prescisamos protejer o meio ambiente mais.Mais sim o ambienti por enteiro. isso pode acontecer muita x com burros e a x demoro pra fazer redaçao como fasso?

  113. Neto Oliveira disse:

    Por favor me ajudem!!!!
    Gostaria de saber qual a maneira correta de se dizer:
    “No TEU lugar santo me faz entrar”
    OU
    “No TEU lugar santo me fazes entrar”
    Essa frase é de uma música e estamos com dúvidas
    Grato.

  114. Alessandro Martins disse:

    Neto,

    na frase, como está fica subentendido um tu. Portanto há duas opções corretas

    No SEU lugar santo (Você ou ele) me FAZ entrar.

    ou

    No TEU lugar santo (Tu) me FAZES entrar.

    Coloquei entre parênteses o pronome que não aparece.

    Abraços.

  115. Bia disse:

    Boa tarde
    Gostaria de saber qual a maneira correta de se dizer:

    ..Quero ao teu lado sempre estar , Tu me faz feliz , eu direi de Ti …

    Esta correto esse : Tu me faz feliz ou Tu me fazes feliz .

    essa letra de uma canção.
    obrigada

  116. Charles disse:

    Gostaria de saber quem é o sujeito na seguinte oração: “ouviram do ipiranga as margens plácidas(…)”! Ouvi um comentário no sentido de que “as margens plácidas” seria sujeito da oração, no entanto, alguns afirmam que ou a oração é sem sujeito ou o sujeito estaria na frase seguinte: “de um povo heróico o brado retumbante”.Por favor, alguém extermine essa dúvida!

  117. Juliana Cordazzo disse:

    Olá
    Gostaria de saber se é correto dizer: “grande maioria” e “muito pouco”.
    A própria palavra maioria, por si só já não basta?
    E, pouquíssimo seria mais correto, não é?

    Obrigada

    Juliana

  118. 15 erros de português… que talvez você cometa diariamente – http://bit.ly/GJaye

  119. RT @MarioDavi: 15 erros de português… que talvez você cometa diariamente – http://bit.ly/GJaye

  120. Danielle disse:

    Ótimo post, e realmente muito útil!

  121. Jamilla disse:

    Respondendo a primeira pergunta:
    mal diferente de bem
    mau diferente de bom

  122. No exemplo : “…11 livros eróticos de que você vai gostar”.

    É errado escrever: “…11 livros eróticos DOS QUAIS você vai gostar”.

    Sempre tenho dúvidas com esse tipo de frase!

  123. milton massayoshi tanaka disse:

    Em português o que é correto: “pallet – (paléte) ou “palete (palête).

    grato

  124. Cezar disse:

    Prezado Alessandro, tira-me uma dúvida.
    O som do “s” tem som de “z” quando vem entre duas vogais, como casa, asa, êxtase, etc. Porém, a palavra aerosol, que vem entre duas vogais, tem som de “z”.

    Valeu.

    Cezar

  125. Alessandro Martins disse:

    Cezar,

    como você deve ter lido no artigo, escreve-se aeroSSol. Portanto, não só tem som de dois esses como efetivamente escreve-se com 2 esses.

    Abraços!

  126. Antônio Filho disse:

    Esse seu blog é demais gostaria muito de conhecer um pouco mais sobre a língua portuguesa.

  127. geovana disse:

    Diego voce é gato de mais, eu tembém cometo esses erros diariamente!!!
    beijOMeliga!!!

  128. Elsinho disse:

    Mesmo sabendo que a palavra “subsídio” pronuncia-se “subcídio”, é estranho quando a confrontamos com palavras semelhantes na grafia, ou seja, “subsistência” e “subzistência”.
    Gostaria que me respondesse o porquê dessa diferença.

    Ah! E a confusão que as palavras homófonas causam! Como por exemplo: Assento (parte do móvel em que se pode sentar, ou anotação!), e acento (de acentuação), e o famoso “conserto” e “concerto”, etc.

    Sugiro uma matéria sobre isso.

    Espero não ter cometido muuuuuitos erros.

    Abraços,

    Elsinho

  129. Zereispoeta disse:

    Poema edipiano.

    Quero ser esta criança louca dentro de ti,
    brincar com teus cotovelos,
    mixar nos teus dedos e fazer você morrer
    de amor da ternura de mim.
    Quero gangorrear nos teus seios
    e deles sugar tua vida, para dentro de mim.
    Quero aquela tua risada de gozo inenarrável,
    aquele delírio de Darwin na tua evolução,
    por no teu coração, minha mão,
    e na compleição chorar de prazer abraçado com a tua alma.
    Quero amanhecer em ti, grudado em ti,
    como se fosse teu recém nascido.
    E só depois de todo este amor,
    além de me ver perdido,
    sentir-me olvido e bêbado de si…

  130. Caroline disse:

    Muito Legal seu Blog.:)

  131. andresa disse:

    Nossa como esses erros me persceguem na escola em casa , sempre.
    E muito bom saber que outras pessoas erram tambem …
    xauuu. Oque acha de MIM ?

  132. ana paula lonardelli disse:

    oi.Quero um texto alegre para eu colar na parede do meu salão,ensinando as pessoas a falar PROBLEMA, ja que ate a manicure fala POBLEMA.beijos obrigada!

  133. Zaninha disse:

    Amei o blog e os post’s do Alê !!

    Nossa cometo todos esses erros, mas ninguém me ‘correge’ (hehehehe) um dia ainda serei uma boa conhecedora da lígua portuguesa, na coloquial eu já estou crack !!! hehehehe

    beijos

    t+

  134. juliana disse:

    como vc acha esses erros, eu nem perceberia

  135. VINICIUS disse:

    Meu caro, eu não sei se estou correto, mas a palavra “subsídio” se pronuncia “subzídio”, pois sabemos que o “s’ tem som de “z”. Eu fui atrás dessa duvida e os professores dizeram que se pronuncia com o som de “z”. O que seria para você ?

  136. … DOCENTE TENDO EM VISTO QUE: É PRECISO CUMPRIR AS LIS, NAS MEDIDAS QUE ELAS EXISTIU; A LEI TRÊS DOIS NOVE DE DOIS MIL LEGISLATIVA.

  137. Josy disse:

    Caraaa que legal.. Ameei o site! Muito bacana..
    Parabéns Alessandro!
    Vamos colocar essa galerinha pra falar correto!
    Eu acho que vou recomendar teu site pra um menino que eu estava ficando..
    Ale ele falava errado demais..
    tipo: “agente vamos” , “nois somo”… erros inadmissíveis!
    kkkkkkkkkkk
    ..
    ..

    hahaha
    “Aerossol”, “torácico”
    eeita que erreeei muito!
    kkkkkkkk

    Obrigada Alessandro por me salvar! rsrs
    Beeijos
    :D

  138. Pricila disse:

    e a palavra cosmopolita?? qual a pronúncia correta? cosmopólita ou cosmopolita?

  139. Roberto disse:

    Olá amigo.

    Muito bom blog, Parabéns.

    Me ajudou muito, sou horrível na gramática. rsrs.

    Abraços, e continue..

  140. Ari Pereira disse:

    Passei uma temporada em Goinaia e a coisa lá é feia.
    Autoridades do governo falam de forma tão errada, que nos fazem lembrar daquela novela ” O Bem Amado” e o prefeito Odorico Paraguaçu. Tentam falar “dificil” e sai tudo errado , chega a ser de rolar de rir. O povo então nem se fala.
    Erros de concordancia, tempos de verbo, termos “cultos” colocados de forma e na hora errada.
    Conversei com um chefe de campanha de um politico nacionalmente famoso, que me disse que as campanhas ficaram piores depois que proibiram os HOUT-DOGS….. No inicio achei que era uma mídia inovadora em carrinhos de cachorro quente…. demorei muito pra descobrir que tratava-se de OUTDOORS…..eheheh
    Sem falar que eles não dizem “fiz” ( algo no passado ) eles dizem FISSO. Isso é o padrão linguistico local.

  141. ANABELA disse:

    XÉROX OU XEROX:

    AMBOS ESTÃO CORRETOS.

    PELO MENOS FOI O QUE UMA PROFESSORA DE PORTUGUÊS ME DISSE.

  142. José Carlos Batista dos Santos disse:

    Sou completamente a favor da rigidez no nosso idioma, embora não seja um especialista em linguística nem um graduado em lígua portuguesa, mas gosto do eruditismo no falar, pois, afinal de contas, o idioma português não é a nossa língua nativa e o português não pode ser alterado de forma tão visceral, maculada pelos sotaques regionais e pelas gírias, que descaracterizam completamente o idioma luso. A falta de concordância, os desencontros vocálicos que se ouvem diariamente pelos brasileiros, é de doer nos ouvidos, mas o que esperar de uma nação em que 80% da população são analfabetos funcionais, quando não o são completamente? Se não dominamos o idioma, o mínimo que os governantes deste país deveriam fazer era dar uma educação de melhor qualidade para os brasileiros. É isso aí!

  143. Paulo Roberto Alves Carvalho disse:

    Professor , gostaria de saber como surgiu o adjunto adnominal com a preposição ´´de“ e qual sua importancia para a interpretação de um texto já que é conciderado termo acessório. Obrigado.

  144. Carminda disse:

    A mensagem a baixo foi recebida de uma pessoa que se diz ou ao menos tenta parecer muito culta. Ela vive corrigindo aos colegas da facu. Dá para fazer uma análise dos erros contidos na mensagem?

    “senhores,

    noticias sobre a saude do professor gilmar.

    cris ligou para a esposa do professor que informou que ele tem problemas cardiacos e ontem a noite sentiu algumas pequenas dores, mos foram para o unicordi para previnir, chegando la o medico achou melhor deixar-lo internado para verificação, mas nao houve nenhum agravamento em sua saude, apenas observação e acompanhamento medico.assim a esposa do porfesso falou que se o medico liberar na proxima seman ele voltara a dar aula na faculdade.

    enfim, essa foram as noticias que cris obteve junto a espósa do professor gilmar, vamos fazer nossa orações e pedir a Deus pelo melhoramento dele.

    boa noite a todos”

  145. Caio disse:

    Vou colocar no meu currículo:
    Português intermediário.

    Hehehehe.

  146. Sônia disse:

    “[a] Livros e Afins/ [b] por alessandro martins”

    (a) De acordo com o que aprendi, a norma para títulos é escrever a primeira letra maiúscula e as outras minúsculas, a não que as outras palavras obedeçam a alguma norma específica da gramática normativa (nomes próprios, etc.).
    (b) Ainda de acordo com a gramática normativa, nomes próprios devem ser grafados com iniciais maiúsculas.
    Observações de alguém que está há muito tempo longe do Brasil e da gramática normativa…

  147. Manuel João disse:

    Não se diz, prefiro comer arroz em relação o funge, diz-se prefiro comer arroz ao funge

  148. Isabel disse:

    Está correto a seguinte frase: Obrigada professora você colaborou muito o
    com o nosso aprendizado.

  149. Devanir disse:

    Concordo com você, Rêbica.

  150. ledson disse:

    não existe erro de português na ortografia, pois ortografia é a escrita correta. existe erro de grafia.

  151. miguezv12 disse:

    Rebeca, SIMPLESMENTE PERFEITO o teu comentário. A língua portuguesa (como a maioria dos idiomas) não é "engessada". A flexibilidade de algumas regras flutua, determinada por aqueles que a utilizam. Parabéns pela clareza do raciocínio e por entender que não se pode resumir isto apenas em "certo" ou "errado".

  152. janete disse:

    O s tem som de z no meio de duas vogais , não é o caso de subsidio , a pronuncia é sim subcidio

  153. Waldim Silva disse:

    o correcto seria: a vítima estava DE costas… ou pode ser: a vítima se encontrava DE Costas…

  154. Ângela disse:

    Como se diz a data 28/10/2010 "vinte e oito de dez de dois mil e dez" ou "vinte e oito do dez de dois mil e dez"?

  155. Elton disse:

    Gostei do texto mas preciso fazer alguma considerações. Há alguma definições que, creio eu (?), não devem ser levadas tão a sério, como no caso das pronúncias, que em muitos casos está influenciada por tantos outros fatores como os sotáques. Até por que, como bem definiu a Rebeca, a lingua é maleável, e é essa característica que a faz tão maravilhosa. Há outros equívocos nesse artigo que precisam ser apontados. Segundo o minidicionário Aurélio AGRAVANTE e ATENUANTE, por exemplo, são adjetivos de dois gêneros (tanto serve a forma masculina quanto a feminina), portanto os artigos definidos O ou A não são relevantes, ambos estão corretos. O X de SINTÁXE, apesar de poder sim ser pronunciado como SS, também pode ser pronunciado como KS. Por que não? Não há nenhuma regra que impeça. Assim como também estão corretas as formas (tanto a grafia quanto a pronúncia) XERÓX (cherócs) ou XÉROX (chérocs). "É isso!!!"

  156. ana disse:

    ola gostaria de saber o que nao escrever em uma carta ao presidente.por favor
    tem um trabalho no valor de 10 pontos. tenho que dar uma aula para meus amigos de classe, de como fazer uma carta ao presidente,o que nao escrever na carta e quais as regras para uma carta ao presidente.
    aguarod urgentemente uma resposta.

  157. mauricio matias disse:

    obrigado professora, você colaborou muito com o nosso aprendizado. !!

  158. mauricio matias disse:

    a vitima estava (DE COSTAS) quando foi atacada.

  159. Felipe Nerd disse:

    Um adendo à tua colocação: o exemplo correto seria "prefiro comer arroz a funge", visto que, "arroz" não está indicado por artigo. Se a situação pedir, também poderá ser "prefiro comer o arroz ao funge", lembrando, porém, que "ao funge", pode dar erroneamente a ideia de um prato que acompanha funge.

    Abraço.

  160. maria disse:

    como escreve biquine e com e ou com i?

  161. krycia disse:

    Tem certeza q xerox é palavra feminina?

  162. Matheus Mallet disse:

    Pelo amor de Deus, sempre fale DE costas. Se o seu professor for de Português, chame ele de burro por mim, por favor.

  163. Nadia disse:

    se escreve BIQUINI.

  164. Nádia disse:

    Escreve-se BIQUINI.

  165. Nádia disse:

    Claro que é feminina. A xérox ou a xerox. Pode se usada com ou sem acento, mas a sílaba tônica será sempre no xe.

  166. Suzana disse:

    Ele foi inventado pelo estilista francês Louis Réard que o batizou com o nome do pequeno atol de Bikini, no Pacífico. portanto´a palavra foi aportuguesada para BIQUÍNI.

  167. Leo Lucas disse:

    Ficaria bem feio na revista:
    "SUPE
    RINTERESSANTE".

  168. sonia disse:

    diz-se prefiro comer o arroz ao funge

  169. @joaunreis disse:

    Realmente todo o mundo erra!?

  170. Visitante disse:

    Sou gaúcha e como a grande maioria das pessoas que vivem no sul, eu pronuncio todas as palavras da língua portuguesa terminadas em 'e' (leite, diferente, bonde, dente, paciente … etc) de acordo com a forma como se escreve ou seja, com a letra 'e'. Mas ja ouvi muitas pessoas dizerem que existe uma regra oficial na lingua portuguesa que diz que "todas as palavras terminadas em 'e' devem ser pronunciadas como 'i' (diferenti, denti, leiti)
    Quero saber se esta regra de fato existe ou se foi se tornando uma escolha pessoal pronunciar estas palavras de maneira diferenciada.

    Obrigada

  171. Alessandro Martins disse:

    Visitante,

    não existe tal regra e, se alguém está ensinando uma regra asssim, está incentivando o preconceito linguistico. Aliás, todo esse post que você acabou de comentar precisa ser revisto, uma vez que afirma que alguns modos de falar são corretos e outros não.

    Abraços!

  172. Alberto disse:

    Abra qualquer jornal. Assista um a noticiário na televisão ou na rádio. Quantos erros gramaticais e ortugráficos! Erros de português em placas, cartazes e reclames diários são comuns. Apraz-me dizer que sou angolano. Em Angola, quase uma em cada seis pessoas fala português de forma incorrecta e comete erros na escrita. Alessandro Martins, é meu prazer, portanto, dizer-lhe que aprendi muito de você. E, estou a pensar em escrever um livro com título 5OO ERROS A EVITAR EM PORTUGUÊS. No entanto, gostava que você contribuisse com uma valiosa revisão e crítica aos meus manuscritos, uma vez que você possui larga experiência na docência da língua portuguesa. Estou à disposição de Sua Excelência para qualquer informação que considere necessária. Deixo aqui o meu e-mail albertosebastaio1@hotmail.com, bem como o meu telemóvel 932 10 03 17. Bendito seja!

  173. paula disse:

    Em relação ao nosso presidente,como podemos falar?
    A presidenta ou a presidente.

  174. @lelariani disse:

    NA VERDADE XEROX É A MARCA DA COPIADORA, OU FOTOCOPIADORA!!! __ENTAO DIGA 'A FOTOCOPIA'__Correto??

  175. Amanda disse:

    Só corrigindo uma afirmação feita no item 1:

    Apesar do logotipo da revistada Abril sugerir uma separação entre as palavras "Super" e "Interessante", o nome da revista é Superinteressante, carinhosamente chamada apenas de Super.

    Abraços

  176. Alessandro Martins disse:

    Muito bem observado, Amanda.

  177. cawas disse:

    do meu ponto de vista, errado mesmo esta o idioma e regras malucas. sao "aparentemente" aleatórias e nao acompanham o desenvolvimento natural da linguagem. lembro daquela regra mais popular de que se diz "a " e jamais "o ".

    e uma das coisas que me orgulho do portugues em relacao a outros idiomas eh como se escreve o que se fala. por mim, esses "erros de pronuncia" todos seriam simpesmente consertados mantendo essa qualidade e escrevendo a porcaria da palavra como se fala! exceto, claro, por tantas pronuncias que ja pegaram e ficariam ridiculas demais, como êxtra ou "sinta-se". e "fêche" a porta, oxente, pra mim eh sotaque.

  178. Kelly disse:

    's' entre vogais não tem som de 'z'?????????????????

  179. lucas disse:

    xeróx não é uma marca?
    se vc pedir uma é pq quer levar uma maquina?

    uahsuhauhsuhausas

  180. RODRIGO NASCIMENTO disse:

    FICAR EM PÉ OU FICAR EM PÉS?
    QUAL PRONÚNCIA ESTÁ CORRETA?

  181. Daniel Latorraca disse:

    O dicionário Aurélio traz xerox (cherócs) como substantivo masculino e é, consequentemente, uma palavra oxítona. O xerox, a fotocópia. Contrariar um dos dicionários mais famosos no Brasil? Vale a pena ler um pouco antes de postar qualquer asneira. Só para concluir o raciocínio: ambas as formas estão corretas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *