Trecho traduzido e adaptado do artigo On The Phenomenon of Bullshit Jobs:

No ano de 1930, John Maynard Keynes previu que, até o final do século, a tecnologia teria avançado suficientemente para que países como a Grã-Bretanha ou os Estados Unidos tivessem alcançado uma semana de trabalho de 15 horas. Há todas as razões para acreditar que ele estava certo. Em termos tecnológicos, somos capazes disso. E, no entanto, isso não aconteceu. Em vez disso, a tecnologia foi transformada em algo para nos fazer trabalhar ainda mais. A fim de alcançar esse objetivo, trabalhos tiveram de ser criados e eles são, efetivamente, inúteis. Grupos enormes de pessoas, na Europa e na América do Norte em particular, passam toda a sua vida profissional na execução de tarefas que eles secretamente acreditam realmente que não precisam ser executadas. O dano moral e espiritual que vem desta situação é profundo. É uma cicatriz em toda a nossa alma coletiva. Ainda assim, quase ninguém fala sobre isso.

Além da leitura do artigo integral, recomendo que você assista a este trecho do filme Up in the Air, que no Brasil ganhou o estúpido título de Amor Sem Escalas (isso e o trailler dão a impressão errônea de se tratar de uma comédia romântica; não é):

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!