Depois das considerações iniciais sobre o procedimento da leitura na postagem “Você sabe (mesmo) ler?“, volto para continuar com as dicas e técnicas voltadas a melhorar a leitura e incrementar nosso entendimento.

Como foi dito naquela postagem há quatro níveis de leitura:

  • Leitura elementar – O que diz a frase?;
  • Leitura inspecional;
  • Leitura analítica;
  • Leitura sintópica. (obs: não confundir com sinóptica)

Considerando o nível elementar de leitura

Deve-se sempre ter em mente qual a meta do leitor: recreação, informação, entendimento.

O 1º nível – Leitura elementar: é a leitura rudimentar, inicial. Passagem do analfabetismo para a alfabetização. Neste nível, estão compreendidos os alunos do jardim de infância, pré-escola, 1ª à 8ª séries. Ainda não há maturidade no papel de leitor. Ao chegar neste nível, espera-se que o leitor:

  1. Tenha aprendido os rudimentos da arte de ler;
  2. Tenha recebido treinamento básico para a leitura;
  3.  Tenha adquirido as primeiras habilidades para a leitura;
  4. Possa responder à pergunta: “O que diz a frase?” (sob o enfoque dos códigos de escrita).
  5. Este é o nível em que se concentram a maior parte dos cursos de leitura dinâmica. Grande parte das dificuldades nesse momento é mecânica.

Estágios do aprendizado da leitura – Nível Elementar

1º Estágio – prontidão para a leitura: do nascimento até os 6 ou 7 anos. Este estágio abrange:

  • Prontidão física – boas visão e audição;
  • Prontidão intelectual – nível mínimo de percepção para gravar palavras e letras que as completam;
  • Prontidão para a linguagem – falar claramente, corretamente, usar bem frases;
  • Prontidão pessoal – comportar-se na relação interpessoal e intrapessoal no momento do aprendizado.

Cabe ao professor avaliar se o aluno reúne esses atributos para que não haja frustração com os momentos iniciais do aprendizado.

2º Estágio – As crianças aprendem a ler coisas bem simples.

  • Oportunidade para exercitar as habilidades básicas como o uso de contexto ou pistas para  o significado e a iniciação nos sons das palavras;
  • Momento mágico e misterioso quando, de uma hora para outra, a criança começa a decifrar rapidamente o código da leitura, normalmente, antes dos 7 anos de idade.

3º Estágio – Progresso rápido

  • Formação de vocabulário e crescente habilidade em desvendar o significado das palavras;
  • Leitura para diversos fins e diferentes áreas do conhecimento;
  • Embrião da leitura desajudada. Começa a leitura por conta própria que é a leitura do bom leitor;
  • Faixa etária, mais ou menos fixada, de 8 a 10 anos de idade.

4º Estágio – Refinamento e intensificação das habilidades.

  • Assimilação de experiência de leitura: transportar conceitos de um texto para outro; comparar opiniões de escritores;
  • Começo da adolescência;
  • Comportamento de leitura vai acompanhar os jovens até a vida adulta;
  • Motivos de fracassos em chegar a este estágio da leitura: privações do lar (econômicas, sociais, intelectuais, analfabestimo dos pais); problemas pessoais (saúde física e mental); menosprezo aos níveis mais elevados de leitura; supervalorização dos níveis rudimentares de leitura.
  • Curso de leitura avançada, ou dinâmica, ou supletiva, normalmente, acabam cumprindo a missão de suprir deficiências verificadas nos estágios básicos da educação.

Leia os artigos:

Fonte

ADLER, Mortimer Jerome; DOREN, Charles Van. A arte de ler. [How to Read a Book.] Trad. José Laurênio de Melo. Rio de Janeiro: AGIR, 1974. 400p.

O livro que estou lendo é de 1902, com primeira publicação em 1940. A tradução que tenho em mãos é de 1974. Fiz questão de começar por esta versão para observar quão atual (ou não) ela seria, contudo, você encontra essas versões, nos dias de hoje, como How to read a book (em inglês) e Como ler livros (versão em Português).

Crédito da imagem

Sobre o autor: Roberta Fraga

Crio seres imaginários, escrevo contos, costuro histórias.