tempo é dinheiro

Eu já trabalhei essa analogia neste ou em outro blog meu acerca da frase que diz que tempo é dinheiro.

Sem dúvida que é, mas costuma-se dizer no sentido de que o dinheiro vale mais que o tempo e que, se você não está ganhando dinheiro em seu tempo, certamente está perdendo tempo.

Na verdade, o tempo de vida de uma pessoa vale muito mais do que qualquer dinheiro.

Pergunte ao homem rico que tem mais alguns meses de vida apenas, diagnosticado com uma doença terminal, se ele não trocaria todo o seu dinheiro por mais uns meses a fim de arrumar seus relacionamentos familiares dos quais não pôde cuidar porque não teve, durante a vida, tempo.

Pois estava ganhando dinheiro.

Quando você é empregado, você está vendendo seu tempo para alguém. Normalmente, quando estamos contando as moedas no fim do mês, não nos damos conta de que elas representam o valor que nosso tempo de vida, dedicado durante aquelas quatro semanas, aos ideais de um terceiro ou aos serviços e produtos de uma empresa.

Tudo isso parece muito subjetivo, mas o nosso amigo Thoreau, em seu livro Walden, nos apresenta a matemática da coisa, objetivamente.

Alguém me diz: “Duvido que você não tenha dinheiro guardado; você gosta de viajar; podia pegar o trem e ir até Fichtburg hoje e ver a região”. Mas sou mais esperto. Aprendi que o viajante mais rápido é o que vai a pé. Digo a meu amigo: “Vamos supor e ver quem chega lá primeiro. A distância é de 48 quilômetros, a passagem custa 90 centavos. É quase um dia de salário. Lembro quando a diária era de 60 centavos para os trabalhadores desta mesma estrada. Bom, eu saio agora a pé, e chego lá antes do anoitecer. Tenho andado nesse ritmo a semana toda. Enquanto isso, você vai ganhar o dinheiro da passagem, e chega lá amanhã a alguma hora, ou talvez ainda esta noite, se tiver a sorte de conseguir um serviço de temporada. Em vez de estar indo para Fichtburg, você vai estar trabalhando aqui a maior parte do dia. E assim, mesmo que a ferrovia dê a volta ao mundo, acho que sempre vou estar à sua frente; e quanto a ver a região e viver essa experiência, eu descartaria totalmente a hipótese de que você consiga”.

Aproveito o ensejo para compartilhar esta linda canção que fala da arte de andar a pé:

photo credit: tlindenbaum cc

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!