O Gino Neto deu uma bicuda em uma lebre passada e levantou-a na área em um recente artigo. Ele fala sobre o amadurecimento e o posterior apodrecimento dos blogs e, para isso, recorreu a um outro texto meu em que falo sobre a pertinência de se especializar em um tema com a finalidade de potencializar melhores resultados em mecanismos de busca e conseqüentemente melhorar a arrecadação (creio que não existe palavra mais boba que monetização; fica ali-ali com a palavra saborização usada por Ana Maria Braga).

Sei, no entanto, que sou apenas mais um que compartilha a opinião de pessoas com mais autoridade nesse tipo de assunto como o criador do BlogBlogs e Darren Rowse. Seja no que diz um sobre a criação de uma comunidade fiel, seja no que diz sobre a importância de se escrever para pessoas de verdade o outro.

Escrever pensando exclusivamente em mecanismos de busca é estúpido porque não proporciona nem uma coisa nem outra e, a longo prazo, é péssimo investimento. Além de fazer o autor do blog parecer um palhaço, um mau palhaço.

Blogs de miguxos são pelo menos 17 vezes superiores a essa categoria.

Eu já disse por aqui que não gosto desse tipo de site. Para mim, blogs de miguxos são pelo menos 17 vezes superiores a essa categoria. E, a cada vez que acabo tocando no assunto, não deixo de me sentir um pouco a formiga que conversa com a cigarra.

Enfim, as duas formas distintas de se encarar um blog – para máquinas e para humanos – são uma questão de aposta, mas não uma questão de sorte. Uma forma coloca suas fichas no analfabetismo – nos muitos analfabetismos possíveis e existentes e nas suas mais variadas amplitudes. E a outra, no esclarecimento. E não me refiro ao esclarecimento já existente. Mas no esclarecimento que se pode vir a criar por vontade, por iniciativa própria. Trabalho de formiga mesmo. Daí ser uma aposta mas não um jogo de azar.

Porém, Gino fala do amadurecimento e posterior apodrecimento de blogs. Para isso, ele usa também uma resposta que dei a um comentário seu. Nele mostro-me um tanto otimista quanto ao futuro desse tipo de meio de informação.

Ainda que faça um tempo que eu a tenha dado, passaram-se menos de seis meses desde então. É cedo para dizer alguma coisa, embora nesse curto período eu tenha visto uma vasta quantidade de blogs voltados para os mecanismos de busca surgirem. E, pior, tenha observado alguns blogs que eu tinha em alta consideração se voltarem para essa forma de encarar sua metodologia editorial. Acredito que é a isso que Gino se refere ao usar a palavra apodrecimento.

Um amigo meu costumava dizer: “O horror é inesgotável”. E é o que eu costumo dizer sempre que estréia uma novela ou um novo show de realidade na Globo. E é verdade. O horror é inesgotável. Blogs estúpidos continuarão a surgir.

A experiência confirma: em determinado conjunto, em qualquer área, a maior parte do que se oferece sempre estará abaixo daquilo que pode se chamar de qualidade, por mais subjetivo que esse conceito de qualidade possa ser.

Muitos confundem o olho com a remela por absoluta falta de discernimento.

Afinal o que é bom para um não é para outro. Ainda que também seja correto pensar que sempre haverá uma maioria a gostar mais da remela do que do olho. E muitos que confundam a secreção com o órgão da visão por absoluta falta de discernimento.

Remela sempre haverá e em grande quantidade, mas enganando-me ou não, eu fico com o olho. E os outros tantos que dividem a preferência comigo garantem uma certa massa crítica que sustenta minha previsão de que aos poucos a internet, os blogs em especial, ganharão em espaço e credibilidade. E tanto maior a credibilidade tanto maior será a monetização, a saborização ou o que seja. Ainda é cedo, meu caro Gino Neto, mas aguarde.

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!