Os trolls são aquelas figuras que ficam felizes em provocar brigas e discussões improdutivas. Em blogs, fóruns e outros ambientes online ou mesmo fora deles.

Embora, hoje a figura do troll tenha assumido até mesmo uma posição transgressora em um bom sentido, em alguns casos.

As definições formais da criatura mitológica coincidem em muito com a criatura virtual que, admitamos, cada um de nós já vivenciou em maior ou em menor grau, como vítima ou algoz.

Vejamos o que escreve Borges em seu Livro dos Seres Imaginários:

O poema dramático Peer Gynt (1867), de Henrik Ibsen, garante sua fama. Ibsen imagina que são acima de tudo, nacionalistas; acham, ou tentam achar, que a beberagem horrível que fabricam é deliciosa, e que suas cavernas são palácios. Pra que Peer Gynt não perceba como seus antros são sórdidos, ameaçam arrancar-lhe os olhos.

A minha dica de como lidar com trolls é a seguinte: eles são seres imaginários. Caso algum resolva importunar o seu blog, apenas ignore-o e ele deixará de existir.

A melhor forma de fazer isso é moderar o primeiro comentário de um leitor e liberar automaticamente os seguintes. Dificilmente um leitor que fez um primeiro contato educado se transforma em troll mais tarde.

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!