Quem escreve na Internet já deve ter se deparado com as mais diversas situações e algumas destas devem ter provado pensamentos acerca do porque continuar escrevendo na “página infinita da Internet”, como dizia Saramago.

Pois o escritor Alex Castro apresentou em um texto as suas razões para continuar a publicar por aqui:

Os humanos, enquanto manada, são lamentáveis, mas individualmente alguns prestam. A melhor maneira de desentocá-los é se expor. Vale a pena afastar mil bois para atrair uma única leoa.

Eu me exponho porque esse é o melhor jeito de conhecer quem está à minha volta. As pessoas mais incríveis, abertas, lindas, sensuais da minha vida eu conheci através desse blog. Ao me expor, eu descubro quem vai bailar comigo. Ao me expor, eu sinalizo para aquelas pessoas encostadas na parede por falta de opção que, sim, elas têm companhia: podem vir dançar comigo!

Não tenho medo de rejeição. Ser rejeitado pelas pessoas pequenas só faz bem. Os pequenos se afastarem de mim por conta própria me poupa o trabalho de espantá-los a pauladas. Troco alegremente a rejeição dos pequenos pela aceitação dos grandes.

O artigo completo do Alex Castro pode ser lido aqui: Declaração de Princípios de Alex Castro

Concordo com o Alex. Também escrevo por aqui para conhecer pessoas. Cada pessoa é um mundo inteiro. Pessoas com as quais posso aprender – sobre o mundo e sobre mim. Escrevo, talvez, pelo simples prazer anônimo de poder tocar alguém com as minhas palavras.

Escrevo porque aprendi a me comunicar assim – e a minha necessidade de comunicação é imensa.

E você por que continua a escrever na Internet? Ou por que desistiu de escrever por aqui? Ou ainda: por que nunca se arriscou a escrever?

Sobre o autor: Marcela Ortolan

Andarilha convicta, leitora apaixonada, behaviorista radical. Acredita que o mundo é grande demais para que apenas uma arte tenha o seu monopólio.