Perguntei no Facebook e no Twitter como – sendo tão impopular como demonstram os Trending Topics do Twitter, com os termos CALA BOCA GALVAO em primeiro lugar – Galvão Bueno conseguiu ocupar o posto de locutor esportivo mais importante do país.

Para quem chegou agora, os termos CALA BOCA GALVAO (assim mesmo, em caixa alta), estão há dias entre os mais tuitados. Até pouco tempo, os usuários de outros países achavam que se tratava de uma campanha para salvar passarinhos ou um novo clipe da Lady Gaga.

Sobre a suposta impopularidade de Galvão Bueno, o amigo Alexandre Montagna deu uma resposta interessante:

Já sabemos através de “pesquisas” – e através de observações – que a maior parte das manifestações são de quem NÃO gosta de algo. A média era mais ou menos assim: quando 1 pessoa gosta de algo, fala bem deste algo para mais 1 ou 3 pessoas; por outro lado, quando 1 pessoa NÃO gosta de algo, compartilha seu desgosto com outras 6 ou até 36. São números da década de 80-90 e perfeitamente discutíveis, pois são de “pesquisas”. Mas considerando ela como cabível e próxima da realidade, percebemos que, com a internet, os números de reverberação para o desgosto podem chegar a 1000 ou mais, pois é muuuuito mais fácil espalhar uma informação hoje. Eu mesmo, sou um contribuinte do primeiro grupo. Gosto do Galvão (apesar de seus balões) e acho familiar e nostálgico começar um jogo da Seleção com aquela tradicional e aconchegante frase “Bem, amigos da Rede Globo!” e outras frases ditas pela voz que conhecemos há tanto tempo. Outro ponto sobre o assunto: muita gente que gosta do Galvão (e outras que nem mesmo o conhecem) também contribuiu para mantê-lo na lista dos Trending Topics do Twitter, então os TT’s não querem dizer algo no ‘grosso modo’. Para auferir conclusões com os TT’s, devemos interpretá-los nas nuances, pois até mesmo o escritor Paulo Coelho brincou com uma frase que foi extremamente retuitada e certamente foi uma contribuição de peso para manter o “CALA BOCA GALVAO” no topo dos tuítes. Entretanto, duvido muito que o Coelho desaprove o Bueno para ser o locutor dos jogos da Seleção. Em minha opinião, está mais para bom humor do que real reprovação através de humor cáustico. Finalmente, minha conclusão é que quem se sobressai e se mantém famoso por muito tempo SEMPRE é impopular. Até a coitada da Sandy, com sua vida na boa e na paz, tem legiões de membros em comunidades tipo “Eu odeio a Sandy!” Durma-se com um barulho desses.

Embora, como Alexandre Montagna mesmo reconheceu, a informação não venha de pesquisas confiáveis, basta acompanhar o Twitter por 10 minutos para perceber que as pessoas gostam de usá-lo mais para reclamar de algo do que propriamente fazer um elogio a seja lá o que for. E o quanto essas reclamações encontram eco entre aqueles que dela se condoem.

Assim, é sempre saudável, antes de aderir ao comportamento de manada, refletir sobre aquilo que você realmente pensa.

Por outro lado, não se pode discutir sobre o quanto o CALA BOCA GALVÃO se tornou um impressionante fenômeno de mídia:

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!