Vou contar-lhes um segredo. Às vezes, em meio a um livro, paro revoltada e penso: literatura não serve para nada, absoluta e rigorosamente nada. Para que tantos livros, afinal?

Então me dou conta de que esse é um dos motivos pelos quais eu tanto gosto de ler. Em meio a um mundo onde tudo tem que ser útil e explicável lá esta a literatura, singela produção humana, não servindo para nada.

Tão bom dispor de um tempo para o inútil.

A literatura esta ai para provar que fazer nada, às vezes, é o que há de mais produtivo. Estou lá pelo prazer de ler… e esse prazer egoísta me ensina tanto sobre o mundo e sobre o outro, sobre a linguagem e suas possibilidades e… e… e todas essas coisas que os professores de literatura falam para a gente quando querem nos convencer a estudar.

Leio pelo prazer, por mais inútil que isso seja.

O resto que aprendi com a literatura é a minha imensa dívida com ela. Felizmente a literatura é generosa.

E isso é assunto para outro post.

Sobre o autor: Marcela Ortolan

Andarilha convicta, leitora apaixonada, behaviorista radical. Acredita que o mundo é grande demais para que apenas uma arte tenha o seu monopólio.