Se eu ganhasse um centavo para cada pessoa que diz que prefere o Inferno de A Divina Comédia, de Dante Alighieri, eu já teria uns R$ 2. A obra é dividida em três partes e a que versa sobre o Inferno parece ser a preferida das pessoas.

Mas se, destas, eu ganhasse um centavo de cada uma que realmente tivesse lido a obra integralmente ou pelo menos uma de suas partes – a preferida, talvez -, ou ao menos segurado o livro sob uma das axilas, quem sabe eu tivesse uns 10 centevos, se tanto.

Por outro lado, não deve ser pequeno o número de leitores que acredite, depois de passear pela obra, que o Inferno é um bom lugar para visitar, mas não para se ficar, digamos, pela eternidade.

No entanto, você talvez se pergunte uma vez ou outra como é organizado o inferno e seus múltiplos círculos nesse livro.

Encontrei no livro Dante Alighieri, de Hilário Franco Júnior, um esquema bem esquemático que esquematizo ainda mais para sua melhor compreensão.

Inferno

  • No Primeiro Círculo ou Limbo, o mais largo e mais próximo à Terra, estão os não-batizados e os pagãos. Inclusive as almas que não teriam conhecido Cristo, por terem nascido antes dele. Não há castigos nesse local, mas uma perene melancolia.
  • No Segundo Círculo ficam os luxuriosos.
  • No Terceiro Círculo ficam os gulosos.
  • No Quarto Círculo ficam os pródigos e avarentos.
  • No Quinto Círculo ficam os iracundos (gente que fica irada facilmente).
  • No Sexto Círculo ficam os hereges.
  • O Sétimo Círculo está dividido em três partes: uma para os violentos contra o próximo (tiranos e assassinos), outra para os violentos contra si mesmos (suicidas e emos), outra para os violentos contra Deus (blasfemos, sodomitas e usurários).
  • O Oitavo Círculo, dividido em dez valas, abria na primeira delas os rufiões e sedutores, na segunda os aduladores, na terceira os simoníacos, na quarta os mágicos e embusteiros, na quinta os corruptos e trapaceiros, na sexta os hipócritas, na sétima os ladrões, na oitava os conselheiros fraudulentos, na nona os semeadores de cismas religiosos e de discórdia, na décima os falsários (o Oitavo Círculo deve ser muito parecido com o Congresso Nacional, mas com menos verbas)
  • O Nono Círculo, onde se encontra o próprio Lúcifer (aka Pé-Redondo, Cramunhão ou Capiroto), é o dos traidores de familiares, da pátria, de amigos e de benfeitores

Na internet, você encontrará diversos mapas do Inferno de Dante, a fim de que, na falta de um Virgílio para guiá-lo, você não se perca quando for passar uma temporada por lá.

Este, por exemplo:

Inferno

Mas, antes de entrar, lembre-se da inscrição que há sobre a porta – guardada por Cérbero, o cão de três cabeças (na verdade, Cérbero guarda o Terceiro Círculo, o dos gulosos: provavelmente a geladeira está no segundo) -, a lembrar do destino de quem por ali passa:

Per me si va ne la città dolente,
per me si va ne l’etterno dolore,
per me si va tra la perduta gente.

Giustizia mosse il mio alto fattore;
fecemi la divina podestate,
la somma sapïenza e ‘l primo amore.

Dinanzi a me non fuor cose create
se non etterne, e io etterna duro.
Lasciate ogne speranza, voi ch’intrate

Deixai toda a esperança, vós que entrais.

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!