O artista Gigi Cifali registrou em seu trabalho Falta d’Água o crescente número de piscinas públicas fechadas nas últimas décadas e, com isso, a nostalgia e o vazio provocado pelas paisagens humanas quando desertas. Elas não eram uma necessidade, mas uma fonte de divertimento e atividade física (e de se divertir da na água para aqueles que não tinham acesso à praia, a um lago ou a um rio). Muitas foram construídas no período Vitoriano e tiveram seu auge em 1930. Aos poucos foram se tornando inviáveis economicamente: as condições de vida e os gostos mudaram e a procura foi ficando menor. Símbolos de um certo orgulho arquitetônico, muitas foram demolidas. (fonte)

All images © Gigi Cifali

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!