Você aí, vendo a Amazon entrar no Brasil pra dominar o mercado de livros eletrônicos, quando, de repente, um japonês cheio da grana entra na parada. Vem aí o Kobo. Na semana passada, Todd Humphrey, vice-presidente da empresa Rakuten do bilionário nipônico Hiroshi Mikitani, anunciou a chegada da plataforma pelas terras tupiniquins no segundo semestre de 2012.

A plataforma Kobo consiste numa webstore de eBooks e nos equipamentos eReaders com tinta digital. Segundo Todd, conversas já foram iniciadas com as editoras brasileiras para a disponibilização dos livros em formato digital, e também com as grandes livrarias para a revenda do equipamento. “Em mais 5 anos, 50% dos livros serão digitais no Brasil”, diz o vice-presidente.

Vamos ver se algum desses (Amazon, Kobo e até a Positivo) vai conseguir “dobrar” o consumidor brasileiro que ainda é muito resistente à esse tipo de tecnologia. Eu ainda não penso nessa troca. Não sei porquê, mas meus livros insistem em não acabar com a bateria. Há!

Sobre o autor: Bruno Pereira da Silva

Um seminerd publicitário, fotógrafo e empresário da Santa Querupita, escritor do Lado B do Cassete, apaixonado por cultura pop dos anos 80 e 90, que sabe de tudo um pouco e muito de nada.