6 de maio de 2014 – Depois de muitos pedidos de desculpas da Caixa Seguros, porque o processo realmente havia sido perdido “por ser muito antigo”, finalmente minha mãe recebeu o dinheiro do seguro.

Com isso, acredito que poderemos dar continuidade ao inventário de meu pai.

23 de abril de 2014 – Minha mãe teve a infelicidade de ter um carro, que estava em nome de meu falecido pai, envolvido em um sinistro com o veículo de uma segurada da Caixa Seguros.

Isso em 2011.

Desde então, o que se deu é digno de estar em O Processo, de Kafka.

Como estamos no andamento do inventário dos bens de meu pai, foi preciso um alvará  para possibilitar o recebimento do seguro.

O fato de minha irmã ter necessidades especiais e ser completamente dependente de mim e de minha mãe não facilita juridicamente a coisa toda.

Por outro lado, sem a conclusão do seguro, não é possível concluir o inventário.

Minha mãe está frustrada não tanto pelo valor a ser recebido, como terceira, mas pela impossibilidade de terminar essa etapa.

Depois de tudo aprovado, alvará, documentações e tudo o mais enviado, nem Caixa Seguros nem Marinho Despachantes (link com nofollow, apenas a título de vocês conhecerem essa nobre empresa) sabem onde toda a papelada foi parar.

Temos tentado descobrir o que aconteceu com a ajuda do SAC da Caixa Seguradora e também com a ajuda da ouvidoria.

A ouvidoria “ouviu” mas uma das respostas por eles enviada até agora indicava que ligássemos (adivinhe) para o SAC da Caixa Seguradora.

Onde, obviamente, eles não sabem de nada.

Caso alguém de boa vontade na Caixa Econômica Federal leia este blog e queira acompanhar o caso, os números de ocorrência na ouvidoria são: 3249759 e 3309516 (gerado hoje).

Sabemos o quanto um processo, inclusive por danos morais, pode prolongar essa história e queremos evitar isso a todo custo.

O caso nas palavras de minha mãe até o momento em que fizemos o primeiro contato com a seguradora:

Saudações.

Venho solicitar, por meio da Ouvidoria da Caixa, à Caixa Seguradora solução para o Sinistro número 1520111000573 ocorrido em 26/04/2011.

O mesmo não foi resolvido na época porque estávamos em inventário do falecido Sr. João Francisco Martins, proprietário do veículo em que a sua cliente colidiu.

No ano de 2012, a Marinho Despachantes sugeriu que se fizesse um alvará, já que a demora pela espera do inventário seria longa.

Providenciamos o alvará, que enviamos à Marinho (Avenida Rio Bonito 1110 – CEP 03023-000 – São Paulo).

Novamente, recusaram o alvará judicial, solicitando retificação do documento. A retificação foi solicitada e, finalmente, enviada em dezembro.

Finalmente, o alvará foi aceito.

Fomos informados de que tudo estava certo, inclusive a transferência do carro para a Caixa Seguradora S/A.

Recebemos também o comunicado de que os documentos foram enviados à Caixa Seguradora em 8 de fevereiro de 2014 e até hoje não recebemos o dinheiro do seguro e não encontramos esse processo em nenhum lugar.

Ninguém nos diz nada.

Em anexo, o protocolo de entrega dos documentos do processo na Caixa em Brasília (gerado no site dos Correios) e uma imagem do Comunicação do Valor da Indenização Integral por Colisão ou Demais Causas e Acionamento do Despachante onde consta o número do Sinistro.

Obrigado.

comunicação

comprovante de entrega correio

 

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!