Alguns estilos de capas de livros são tão manjados, tão clichês que acabam sendo repetidos indefinida e descaradamente. Basta que surja um novo best-seller para que você veja esse curioso fenômeno acontecer.

É quase uma maneira de as editoras indicarem ao leitor de um gênero ou subgênero de que se trata mais ou menos do mesmo conteúdo daquele outro livro que ficou famoso em determinado estilo.

Em alguns casos, o leitor pode acabar comprando por achar que se trata daquela obra mesmo, enganado. Sei lá.

Esse tipo de comportamento das editoras demonstra o quanto elas valorizam determinada obra pelo que realmente ela é ou pelo quanto ela pode vender para um determinado tipo de público.

Se uma editora resolve investir em um design original, certamente é porque o livro tem, dentro do possível, uma boa dose de originalidade e ela estará oferecento ao seu público uma quantidade mínima de arte e autenticidade. É o caso em que é justo se julgar o livro pela capa.

Vi este post originalmente no BuzzFeed: 19 capas de livro clichês.

1. O assustador “homem-sihueta”

homem silhueta

2. Mulher segurando uma gaiola vazia

mulher segurando uma gaiola

 3. O homem ao lado da cerca

o homem ao lado da cerca

 

4. Uma mulher com um vestido branco

Uma mulher com um vestido branco

 

5. Mulher usando um longo, com as costas expostas

mulher usando longo

 

6. O carinha com espada

carinha com espada

 

7. Carinha com capuz

carinha com capuz

 

8. Carinha com capuz e espada

carinha com capuz e espada

 

9. Mulher olhando para a água

mulher olhando para a água

 

10. Homem sombrio andando à distância

Homem sombrio andando à distância

 

11. Mulher com bagagem

Mulher com bagagem

 

12. Pernas de mulher

pernas de mulher

 

13. Um monte de preto e vermelho. Fonte “gótica”

preto e vermelho

14. Rosa e brilhante!!!!

rosa e brilhante

 

15. Saltos altos, tonalidades frias

saltos altos

 

16. Joias e tonalidades frias

joias e tons frios

 

17. Criança triste e fonte a mão-livre

crianca triste

 

18. Sinistra estrada para lugar nenhum

estrada para lugar nenhum

 

19. Ah, dane-se… vou só enfileirar algumas folhas

somente algumas folhas

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!