detale da capa de tarantata

Autora foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura em 2010 com “Sanga Menor”

No extremo da península salentina na Itália, o tarantismo ou envenenamento por picada de aranha era a explicação para os surtos de violenta agitação – uivos, saracoteios, correrias e gargalhadas, tudo impregnado por exuberante sensualidade. Para se livrar do veneno, restava a Giuseppina Palumbo recorrer ao ritual das tarantelas e invocar a força de São Paulo, protetor das tarantatas, as mulheres que sofrem de tarantismo. É com a esperança de encontrar a cura que os Palumbo emigram para o Brasil, instalando-se na cidade batizada com o nome do santo. Na periferia paulistana, serão vizinhos do professor de piano Marçal Quintalusa, que ficará fascinado pela escuridão dos olhos da italiana.

Tarantata, de Cíntia Lacroix, será lançado pela Dublinense no dia 23 de abril de 2014 (quarta-feira), a partir das 19h30, na Livraria Cultura do Bourbon Shopping Country, em Porto Alegre.

Os personagens de Tarantata são bem delineados, e o estilo de Cíntia é cuidadoso e detalhista, construindo uma narrativa envolvente. Na orelha do livro, Rafael Bán Jacobsen destaca as características do trabalho da autora. “Cíntia Lacroix reafirma, em Tarantata, a solidez de seu universo ficcional, um universo plasmado pelo poder da linguagem e dos símbolos. Com uma estética ao mesmo tempo exuberante e precisa, Cíntia trabalha as palavras em suas miudezas, com o cuidado de um ourives, para compor um amplo cenário sobre o qual transitam personagens e conflitos que possuem a dimensão altissonante das lendas.”

O livro que marcou a estreia literária de Cíntia Lacroix, Sanga Menor, foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura em 2010, na categoria Autor Estreante.

Foto: detalhe da capa do livro

Sobre o autor: Marcelo Wainer

Marcelo Wainer sabe bem a diferença entre comida requintada e comida requentada. Lê pouco, mas lê bem. É o primeiro leitor da newsletter do Alessandro Martins e recomenda que você assine. Assine aqui