A tradutora e autoridade no que diz respeito a plágios em traduções, Denise Botmann, enviou-me o seguinte email que reproduzo ipsis litteris:

A FBN (Fundação Biblioteca Nacional) está com um excelente programa de abastecimento das bibliotecas públicas de todo o país através de um cadastro nacional do livro de baixo preço. O problema é que há várias obras de tradução inscritas que parecem não primar propriamente pela lisura autoral.
Acompanhe:

Dê seu apoio no blog contra tais barbaridades.
Agradeço.

Sobre as não poucas acusações e suspeitas de plágio que pesam sobre a Martin Claret, basta dar uma olhada no artigo constante na Wikipedia ou ainda fazer uma busca pelos termos Martin Claret e Tradução. Sobre a suspeita de plágio da Escala e Pillares você pode ler neste artigo que compara duas traduções de Assim Falava Zaratustra, de Nietzsche.

Transcrevo aqui também a posição da Fundação Biblioteca Nacional:

Cara Denise,
Conforme conversamos hoje pelo telefone, acerca dos títulos cadastrados no Programa de Atualização e Ampliação de Acervos de Bibliotecas de Acesso Público, a Fundação Biblioteca Nacional esclarece que:
1)       Não é função da Fundação Biblioteca Nacional definir o que pode e o que não pode ser posto no mercado. Qualquer cerceamento ao livre direito de expressão pode,  e deve ser encarado como ato de censura.
2)      Para que possamos excluir qualquer título inscrito no Cadastro de Livros de Baixo Preço, é preciso que este tenha sido objeto de ação judicial, com trânsito em julgado, que tenha determinado o impedimento de circulação das obras. Caso contrário, estaremos agindo, aos olhos da Lei, de forma arbitrária.
3)     Neste sentido, se você tiver conhecimento de qualquer sentença judicial, transitada em julgado, referente a qualquer um dos livros citados ou inscritos no Programa, solicitamos que seja encaminhada para que possamos tomar as medidas cabíveis contra a editora que os cadastrou. Lembramos que o edital determina que os editores se responsabilizem por todos os aspectos legais que envolvem a produção dos livros inscritos.
6. CRITÉRIOS DE HABILITAÇÃO DOS EDITORES NO PORTAL DO LIVRO da BN
6.1.Para terem seus livros aptos a serem escolhidos pelas Bibliotecas beneficiárias, as Editoras deverão garantir:
6.1.6.Declarar, no Portal do Livro da BN, que reconhece e aceita os termos do presente edital, e que os livros que inscreve não violam qualquer princípio legal vigente;
Agradeço a preocupação com o perfeito funcionamento do Programa. Sugestões são, e sempre serão, bem vindas.
Estou à disposição para eventuais questionamentos.
Abs,
Clóvis Horta
Coordenador de Comunicação
Fundação Biblioteca Nacional – Ministério da Cultura
(+55 21) 3095-3849 / 7163-5146::: www.bn.br :::: www.twitter.com/fbn
Av. Rio Branco, 219, Centro | Rio de Janeiro, RJ, Brasil | CEP 20040-008

De fato, como sabiamente nos explica o coordenador de comunicação da Biblioteca Nacional, está tudo dentro da legalidade como legais são diversas coisas neste mundo, mas com as quais não necessariamente concordamos.

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!