A lingua e a grammatica variam em funcção do individuo. Duas pessoas que vivem juntas cream uma lingua nova, differente da dos seus patricios. Do convivio de um grupo de amigos nascem expressões oriundas de factos que elles presenciaram, de pilherias que disseram, etc. A lingua não varia só de um paiz para o outro, mas de individuo a individuo.

Dahi o facto de certos homens empregarem certas palavras em sentido differente do commum. Dois homens que não se conhecem e são apresentados, nos primeiros minutos sentem uma certa difficuldade em se entenderem. Não dão o mesmo valor ás mesmas palavras e não empregam o mesmo vocabulario.

Rubens Borba de MoraesDomingo dos séculos.

Via Venceslau Gama – Um Velhote Sacudido

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!