A arte de não perder a oportunidade de ficar quieto na internet consiste em saber ficar quieto quando, na internet, a oportunidade surge.

Óbvio.

Só continue a ler se conseguir entender que há uma grande diferença entre essa arte e se omitir.

Trata-se de uma arte cada vez mais esquecida.

A grande questão das oportunidades é saber identificá-las.

No caso que estudamos agora, a oportunidade pode ser identificada por uma necessidade urgente – ainda que ilusória – de escrever algo “importante”, seja no twitter, em fóruns, na caixa de comentários de um blog ou mesmo em seu próprio blog depois de determinado estímulo.

Geralmente, ela vem acompanhada mentalmente – ou até acusticamente – por frases como:

– Agora vou dizer umas verdades!!! – exclamações incluídas.

(lembro de uma tirinha em que o personagem, enquanto é chamado insistentemente para a cama pela companheira, reluta a deitar-se madrugada adentro, dizendo: “Agora não posso. Tem alguém errado na internet!”)

Quanto mais urgente a sua necessidade de se manifestar, maior a probabilidade de você estar diante de uma GRANDE oportunidade de ficar quieto.

Não a perca.

Vários motivos para isso.

  • quanto maior a oportunidade de ficar quieto perdida maior também é a capacidade de dano causada pelas palavras emitidas, a si mesmo e aos outros
  • a sua imagem e reputação pode ser abalada por uma oportunidade de ficar quieto perdida
  • enquanto isso, o tema da discussão toda será esquecido no dia seguinte enquanto os reflexos emocionais da oportunidade perdida permanecerão
  • quanto mais oportunidades você perde, menos educado nessa arte você fica
  • se você acha muito importante dizer algo, deixe que outro o faça; o que não falta na internet é gente perdendo a oportunidade de ficar quieto; faltam pessoas agindo, no entanto
  • entre outros

Algo que deveria ser óbvio, mas não é: não se deve debater com alguém cuja opinião é diferente da sua. Quanto mais se ela for diametralmente diferente da sua. Ambos sairão da contenda com as mesmas opiniões que entraram, mas com mais arranhões e ossos quebrados do que quando entraram. Se o provocador do estímulo mudar de opinião, será por vontade própria e não porque você, na sua perda de oportunidade de ficar quieto, o convenceu. Nunca vi alguém ser convencido pelo discurso alheio a mudar de opinião.

Se alguém acredita realmente nisso, pode sofrer sérios desgaste de energia provocados por uma distorção na noção de auto-importância.

Existem formas de evitar o problema de não saber identificar oportunidades de ficar quieto. A mais conhecida é contar até 10. Por exemplo: não responda a nenhum estímulo em menos de um mínuto. Um minuto costuma ser suficiente para se identificar qualquer coisa ou mesmo para perguntar a alguém mais versado no tema.

Se o problema for no Twitter, dê unfollow ou mesmo block. Não precisa anunciar que fez isso (essa é uma grave oportunidade de ficar quieto perdida). Não se desgaste. Simplifique a vida.

Se o problema for em um fórum ou em um blog, deixe de lê-lo. Deixe para escrever e comentar e se manifestar nos blogs e fóruns que o agradam.

Desde que passei a me esforçar para entender a arte de ficar quieto na internet, tenho identificado pelo menos duas ou três oportunidades perdidas e muitas não perdidas diariamente. O que é bom, considerando que trabalho coma arte de tagarelar na internet e que, perdidas ou não, estou as identificando.

A arte de não perder uma oportunidade de ficar quieto na internet, no entanto, é algo que merece maior desenvolvimento e certamente voltarei a falar dela.

Na verdade, ela merece capítulos e capítulos a seu respeito. O que, de certo modo, é um contra-senso: afinal isso é tudo, menos ficar quieto.

Sobre o autor: Alessandro Martins

Sou o editor deste blog. Trabalhei como jornalista em Curitiba de 1995 a 2008, quando fui demitido e passei a me dedicar a escrever apenas na internet, em blogs e mídias sociais. Agora estou publicando minha newsletter que tem milhares de leitores: assine!