Não faço idéia de quantos livros li na minha vida, só sei que é uma lista longa. Diante de alguns títulos, fico até na dúvida se já li ou não. Posso dizer que nesse quesito livros são como pessoas: muitos passarão por nossas vidas, mas poucos ficarão nas nossas lembranças. A questão nem é se o livro – ou a pessoa – é bom ou ruim, e sim como foi a experiência de estar com ele. Vejo que pelo menos um destes fatos torna um livro inesquecível:

  1. Era o livro certo para o momento certo. Se tivesse lido em outra fase, antes ou depois de viver certas coisas, talvez ele não tivesse sido tão marcante.
  2. O autor conseguiu colocar no papel algo que eu acreditava e não conseguia expressar em palavras. Ou que nem tinha consciência que acreditava.
  3. Descobri, com o livro, que uma experiência que eu pensava que era só minha também aconteceu com outra pessoa. No mínimo, com o autor. Ou com as outras pessoas que amam o mesmo livro – um sentimento que parecia único se torna parte de algo maior.
  4. A leitura me fez conhecer um mundo totalmente novo. Esse mundo pode nem existir; ser outro país, outra época ou até mesmo o mundo interior de alguém.
  5. Eu chorei lendo.
  6. Eu gargalhei lendo.
  7. Eu fiquei completamente apaixonada por um personagem. Alguns personagens nos fazem suspirar de paixão e podem até determinar nossas futuras escolhas.
  8. O livro me ajudou a tomar uma decisão importante – pode ter sido pela história inteira ou apenas por uma frase. O importante foi o efeito que causou na minha vida.
  9. Ler aquilo foi um desafio. Nada como duvidar que conseguiria ler uma coisa e terminar.
  10. O livro me decepcionou. Ninguém quer ser lembrado dessa forma, mas existe isso também, do livro não ser nada do que esperávamos.

E você, consegue pensar em outros motivos que tornam um livro inesquecível?

Sobre o autor: Caminhante Diurno

Caminhante tem casa, marido, cachorro, blogs (Caminhante Diurno e Caminhando por Fora), carteirinha da biblioteca. E não pode viver sem qualquer um deles.